18
Jul 12

Uma mulher é escolhida pela primeira vez como reitora da Universidade Católica

A jurista Maria da Glória Garcia, 59 anos, foi escolhida como reitora da Universidade Católica Portuguesa (UCP), anunciou hoje a instituição em comunicado citado pela agência Ecclesia. É a primeira vez que uma mulher dirige a instituição.

O nome da professora catedrática da Faculdade de Direito era um dos mais falados nos meios eclesiásticos para suceder ao actual reitor, Manuel Braga da Cruz, que está a terminar o seu terceiro mandato de quatro anos à frente da instituição.

Nas recentes comemorações dos 50 anos de sacerdócio de D. José Policarpo, foi Maria da Glória Garcia a escolhida para fazer a conferência de fundo sobre a figura do patriarca. E foi ela também que, em, nome da UCP, há dois anos, saudou o cardeal Walter Kasper, então presidente do Conselho Pontifício para a Unidade dos Cristãos, numa conferência que ele fez em Lisboa.

Antiga vice-reitora da UCP e actual directora da Faculdade de Direito, Maria da Glória Garcia terá sido uma escolha pessoal do cardeal-patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, magno chanceler da UCP e a quem compete a escolha do reitor. 

O nome, acrescenta a mesma fonte, foi apresentado à Congregação para a Educação Católica, do Vaticano (Santa Sé), para nomeação formal. Tendo em conta o anúncio público feito, já não deverá haver qualquer obstáculo à nomeação. 

Natural de Coimbra, Maria da Glória Ferreira Pinto Dias Garcia nasceu a 6 de Novembro de 1953, licenciou-se na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e prestou provas de mestrado e de doutoramento na Faculdade de Direito da UCP.

Há três anos, Maria da Glória Garcia foi a candidata apoiada pelo PSD para o cargo de provedor de Justiça, acabando o escolhido por ser Alfredo José de Sousa, que ocupa ainda o cargo. 

A nova reitora é membro fundador da Societas Iuris Publici Europaei (SIPE), associação dedicada ao direito público europeu, constituída em Frankfurt (Alemanha), em 2004. 

Além da sede em Lisboa, a UCP tem pólos regionais em Viseu, Braga e Porto. Criada em 1967, a Universidade Católica é reconhecida pelo Estado como instituição universitária livre, autónoma e de utilidade pública. Na Concordata entre Portugal e a Santa Sé, de 2004, o artigo 21º afirma a “especificidade institucional” da UCP. 

Na mensagem para o dia da UCP, em Fevereiro, o reitor cessante dizia que os 45 anos da instituição devem levá-la a responder a “novos desafios”, em particular à “profunda crise” do país, sendo esta uma ocasião de “repensar” a missão da UCP. 

fonte:http://www.publico.pt/E

publicado por adm às 23:50 | comentar | favorito
14
Mai 12

Universidades Nova e Católica entre as melhores do mundo

Universidade Nova e Católica voltam este ano a estar classificadas entre as 50 melhores escolas de economia para formação de executivos para o jornal Financial Times.

A Católica-Lisbon School of Business and Economics figura no 18.º lugar do "ranking" do Financial Times para formação de executivos, na vertente de escolas em parceria.

A Nova School of Business & Economics (SBE) está em oitavo lugar na vertente de internacionalização, subindo 11 lugares em relação à lista do ano anterior.

Em comunicado, a Católica assinala que o seu programa de formação de executivos já formou mil dirigentes empresariais e regista que o seu volume de negócios cresceu 6%, chegando aos 7,1 milhões de euros.

Entre as parcerias da escola da Católica estão a Kellogg School of Management, a Hong Kong University of Science & technology e a ESADE Business School, com programas que ligam a instituição aos Estados Unidos, África (via Angola) e Ásia.

Quanto à Nova SBE, o seu director, José Ferreira Machado, refere que o resultado da escola "é mais um marco a assinalar a dinâmica de crescimento e internacionalização".

A "diversidade do corpo docente, as metodologias de ensino" e a qualidade da formação adaptada às empresas são aspectos que o Financial Times destaca.

O Financial Times já tinha distinguido o mestrado em gestão internacional da Nova SBE como o melhor do mundo.

fonte:http://economico.sapo.pt/n

 

publicado por adm às 08:26 | comentar | favorito
05
Dez 11

Nova e Católica entre as 40 melhores escolas europeias de gestão

A Universidade Nova de Lisboa e a Universidade Católica estão entre as 40 instituições mais bem classificadas no 'ranking' europeu do Financial Times 2011 para as escolas de economia e gestão.

A lista do "Financial Times European Business Schools" é composta por 75 escolas e Portugal consta com uma instituição pública e outra privada no "top 40", designadamente com a "Católica Lisbon School of Business and Economics" em 33.º lugar e a "Nova School of Business and Economics" (Nova SBE) em 39.º.

Ambas as instituições subiram, face ano passado, sendo que a Nova foi a que registou a maior subida, no conjunto. Em 2010, encontrava-se na 73.ª posição. Subiu 34 lugares. A Católica progrediu 29 lugares, deixando o 62.º lugar de 2010.

O 'ranking' de 2011 continua a ser liderado pela "Haute Ecole Commercial de Paris" (HEC Paris), pelo terceiro ano consecutivo.

"Portugal tem duas escolas no top 40 das escolas europeias de gestão, o que é um resultado extraordinário. Penso que é inigualado em qualquer ramo de actividade", disse à agência Lusa o director da Nova SBE, José Ferreira Machado.

O professor manifestou-se particularmente satisfeito por a escola que dirige ter registado "a maior subida de todas as escolas consideradas" nesta avaliação. "É sobretudo notável tendo em atenção que é uma escola pública, num país em dificuldades, em que o ensino está a sofrer toda a espécie de apertos", observou.

O resultado deste "ranking dos rankings" conjuga a formação de executivos, o mestrado em gestão e o "Lisbon MBA Part-Time", este em parceria com a Católica.

Ferreira Machado considera tratar-se do "produto de muitos anos de trabalho", com objectivos ambiciosos em vista, "sem nunca tirar os olhos da qualidade" e dos padrões internacionais. "Confiança em nós e na instituição penso que é a principal mensagem destes resultados", referiu.

Quando questionado sobre a mais-valia deste resultado afirmou que 30% dos alunos de mestrado já são de outros países, o que poderá vir a aumentar.

"Todos os anos temos 400 alunos de Erasmus a visitar-nos, das sete partidas do mundo, de 150 escolas, em 50 países. Acho que isto vai reforçar ainda mais a capacidade de recrutar internacionalmente", declarou, indicando que o objectivo é fazer do Ensino Superior "uma grande indústria exportadora".

A directora da "Católica School of Business and Economics", Fátima Barros, manifestou igualmente satisfação e convicção de que aumentará o número de alunos estrangeiros de mestrado, actualmente cifrado em 30%.

A Católica esperava já subir este ano e não tem dúvidas de que os resultados práticos serão "extraordinários". "Estamos entre as melhores escolas, acima de Cambrige e outras grandes escolas", sublinhou, manifestando confiança no reconhecimento internacional: "São duas escolas portuguesas entre as melhores da Europa".

fonte:http://www.jn.pt/P

publicado por adm às 22:53 | comentar | favorito
29
Nov 11

Pós-graduações da Católica entre as melhores do mundo

“Financial Times” colocou as pós-graduações em Direito da Católica entre as 82 mais inovadoras. Em toda a Europa só 34 universidades foram distinguidas.

Pelo segundo ano consecutivo as pós-graduações em Direito da Universidade Católica (LLM) foram classificadas pelo "Financial Times" como das mais inovadoras do mundo. No ‘ranking' do FT foram distinguidas 82 escolas, das quais apenas são europeias e, destas, apenas 14 estão localizadas fora do Reino Unido.

Com cerca de meia centena de alunos, um custo anual de pelo menos 12 mil euros (pode ir 14 mil euros), o LLM reúne em Lisboa perto de 50 alunos, 70% dos quais originários de diferentes países europeus. Os restantes 30% vêm dos PALOP, EUA e China.

Mas não fica por aqui a capacidade inovadora da Católica: também até Lisboa vêm professores das melhores universidades do mundo: Oxford, London School of Economics, King´s College, Columbia, New York University, para citar algumas das mais conhecidas. "São grandes estrelas nos seus países e contribuem em seminários e disciplinas intensivas nos nossos programas", explica ao Económico Barreto Xavier, director da Faculdade de Direito da Católica.

fonte:http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 13:37 | comentar | favorito