Gaia cria modelo de escola de futuro a ser exportada para o mundo

A Escola dos Sentidos, em Gaia, dedicada ao ensino básico e jardim-de-infância, é uma escola "mágica", diz Emily Vance, uma consultora de educação norte-americana que quer exportar este modelo arquitetónico e pedagógico de futuro para outros países.

A porta de entrada da Escola dos Sentidos, em forma de anfiteatro, é "um grande abraço aos alunos e à comunidade", explica Joaquim Massena, um dos arquitetos responsáveis pelo projeto criado a pedido da Câmara Municipal de Gaia e que será inaugurada no final deste mês.

O ponto de partida foi uma nova abordagem ao conceito de aprendizagem e ensino, permitindo aos alunos explorar todos os cinco sentidos num simples dia de aulas, que pode começar dentro de uma sala, com quadros normais e interativos e vista para o Douro, e terminar numa das hortas do exterior, no cantinho das aromáticas ou 
até na cozinha transformada em laboratório.

Pelos 10 mil metros quadrados que tem à sua disposição, o equivalente a um campo de futebol, "a criança, a brincar, analisará o ciclo da vida, utilizará as ferramentas artísticas, técnicas e científicas, que tem ao seu dispor, exercitando a sua sensibilidade e protegerá naturalmente o ambiente e as suas espécies", explicou o arquiteto.

O edifício tem dois pisos e um pavilhão a 12 metros de profundidade com luz natural, cada sala de infantário tem 100 metros quadrados, o polivalente está preparado para receber uma régie e ocupa 500 metros quadrados, as salas de aula para o primeiro ciclo têm apenas duas filas de mesas e até existe um museu e uma biblioteca abertos à comunidade.

Nesta Escola dos Sentidos, "os acessos são feitos por rampas" e corredores que "funcionam como ruas" ligadas a átrios com a dimensão de praças, "onde as pessoas comunicam, se encontram e estabelecem as suas relações de amizade", salientou Massena.

No decorrer do processo, a consultora de educação e pedagogia norte-americana e antiga professora com formação em arquitetura, Emily Vance, convidou os arquitetos Joaquim, Filipe e Diogo Massena a fazerem parte de uma fundação cuja finalidade é replicar o projeto arquitetónico e educacional da Escola dos Sentidos de Gaia por todo o mundo.

"Eu considero-a um protótipo, um modelo de onde podemos todos tirar ideias e aprender com esta experiência, incorporando-as em futuros edifícios para crianças e famílias", afirmou a docente, para quem "será mágico" o tipo de educação que a Escola dos Sentidos irá permitir.

Localizada junto à Serra do Pilar, a escola de ensino básico de primeiro ciclo e jardim-de-infância, irá receber 500 alunos a partir de setembro, mas também convida pais, avós e toda a comunidade a participar no processo educativo e a "serem parte do futuro que vai acontecer".

"É uma escola para crianças, mas há tantas vozes aqui a ser faladas. Este edifício tem voz e está a convidar os pais a entrarem e participarem", assinalou Emily Vance, para quem "será divertido só de ver que tipo de atividades surgem, porque há tantas possibilidades".

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 17:55 | comentar | favorito