Trinta escolas com contrato de associação já chegaram a acordo com Ministério da Educação

O Ministério da Educação já chegou a acordo com 30 dos 93 colégios com contratos de associação, escolas que estão em regiões onde não existe oferta de ensino público e que recebem todos os alunos da zona.

 

Desde o final de Dezembro que muitas destas escolas se têm manifestado contra os cortes, marcando presença junto dos candidatos presidenciais, alertando-os para as dificuldades que vão passar. Paralelamente, a Associação dos Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo (Aeep) denunciou que a redução do apoio a estes colégios pode por em risco a qualidade dos mesmos, que se verão obrigados a dispensar professores e outros funcionários. 

Também os professores deste sector e os pais, reunidos no SOS-Movimento Educação, se têm manifestado contra a medida de cortes. Os pais preparam-se para fechar algumas destas escolas, por tempo indeterminado, a partir de dia 26.

Até agora, estas escolas recebiam 114 mil euros por turma, ao ano. A tutela decidiu que durante um período de transição, de Janeiro a Setembro, passarão a receber 90 mil e a partir do próximo ano lectivo esse valor sera de 80.080 euros por turma, ao ano.

Para já, o ministério já assinou com 30 destas escolas adendas aos contratos já estabelecidos. As adendas são o "instrumento que habilita as Direcções Regionais de Educação a efectuarem os pagamentos às escolas com contratos de associação", informa o gabinete de imprensa da tutela.

fonte:http://www.publico.pt/

publicado por adm às 14:19 | favorito