Menos cinco mil professores colocados

O ministro da Educação, Nuno Crato, adiantou, esta sexta-feira, que, neste ano letivo, foram colocados menos cinco mil professores do que no ano passado, desmentindo os "números fantasiosos" que têm sido anunciados.


"Estamos ainda em fase de colocação, mas houve efetivamente menos professores colocados do que no ano passado, cerca de cinco mil, em relação ao ano passado, embora não seja um número definitivo", afirmou o ministro.

Nuno Crato, que falava aos jornalistas à margem da inauguração de uma escola no concelho de Cascais, assegurou que o "número de professores colocados ou candidatos que não tiveram colocação" é "extraordinariamente menor do que os números fantasiosos que, durante semanas andaram a ser propagados".

Contudo, sublinhou que os que estão a ser colocados são os "estritamente necessários ao funcionamento das escolas" e que os atrasos nas colocações são para se resolver "o mais depressa possível".

"Há sempre uma falha numa ou noutra escola. Há sempre o caso de um professor que é colocado e que adoece e precisa ser substituído por outro e infelizmente não estamos a conseguir fazer isso na hora, fazemos passados uns dias, portanto, lamentamos todos os atrasos que possam existir, mas, no essencial, a abertura do ano letivo correu muito bem", assegurou.

O ministro da Educação presidiu à inauguração da Escola Básica e Jardim-de-Infância Rómulo de Carvalho, em Matos Cheirinhos, em São Domingos de Rana, em funcionamento já desde o início do ano letivo, e inaugurou ainda o novo recreio da Escola Básica e Jardim-de-Infância Tires nº 3.

A intervenção nas duas escolas custou à Câmara de Cascais quase 2,4 milhões de euros, sendo que o novo estabelecimento de Matos Cheirinhos representou um investimento de 1,9 milhões de euros (com uma participação de 636 mil euros do QREN - Quadro Estratégico de Referência Nacional) e a requalificação do espaço exterior da escola de Tires custou 460 mil euros.

fonte:http://www.jn.pt/P


publicado por adm às 17:38 | favorito