Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Educação

Tudo sobre a educação em Portugal

Tudo sobre a educação em Portugal

Educação

12
Ago12

Mais de 40 mil já são candidatos ao ensino superior

adm
Até quarta-feira tinham-se candidatado ao ensino superior 42.356 estudantes, mais cerca de cinco mil do que em idêntico período do ano passado. A 1.ª fase do concurso nacional de acesso ao superior termina nesta sexta-feira.

Apesar do aumento registado, por comparação ao ano passado, quando estavam decorridos 24 dias do concurso, não é ainda garantido que a tendência de subida venha a prevalecer. Em 2011, o número total de candidatos na 1.ª fase, que se prolongou por 28 dias, foi de 46.678. Este ano, o concurso foi reduzido a 26 dias e na antevéspera do final do prazo faltavam ainda 4322 candidatos para igualar o número de 2011, que foi um dos mais baixos dos últimos anos.

O director-geral do ensino superior atribuiu esta situação ao facto de ter aumentado o número de alunos que fizeram os exames do ensino secundário na 2.ª fase e que, por isso, ficaram impedidos de se candidatar no início do concurso nacional de acesso. Este ano, os alunos do secundário foram, pela primeira vez, obrigados a fazer todos os exames na 1.ª fase. Esta era a condição de base para acederem à 2.ª fase, que passou a ser reservada para os que chumbaram no primeiro exame ou ficaram descontentes com a nota obtida. 

Com médias negativas nas principais disciplinas, cerca de 19% tentaram a sorte nesta fase. Para utilizarem estes resultados terão de aguardar pela 2.ª fase do concurso de acesso, que decorre entre 10 e 21 de Setembro. Na segunda vaga de candidaturas, o leque de escolha é mais reduzido. No ano passado, por exemplo, metade dos 1152 cursos então existentes no ensino universitário e politécnico ficou sem vagas logo na 1.ª fase. 

Este ano, as instituições do ensino superior universitário e politécnico têm 52.298 lugares disponíveis para novos alunos, menos 1202 do que em 2011. É a primeira descida desde 2003, mas está ainda longe do desejado pelo Ministério da Educação e Ciência, que aconselhou as instituições do ensino superior a não aumentar o número de lugares disponíveis nos cursos com maiores índices de desemprego. 

Na nota informativa divulgada em Julho, quando foram conhecidas as vagas existentes para o próximo ano lectivo, a Direcção-Geral do Ensino Superior frisa que a redução do número de lugares disponíveis "é inferior ao número de vagas sobrantes e à diminuição do número de candidatos em 2011". Segundo a DGES, das 53.500 vagas existentes no ano passado ficaram por ocupar 7844. Por comparação a 2010 houve também menos 4388 candidatos, o que significou uma quebra de 7,3%.

Os resultados da 1.ª fase do concurso de acesso serão conhecidos a 10 de Setembro. Os distritos de Lisboa e do Porto contribuem com mais de 40% dos candidatos superior. Seguem-se-lhes Coimbra e Aveiro, com cerca de 5% cada.

fonte:http://www.publico.pt/Ed

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D