Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Educação

Tudo sobre a educação em Portugal

Tudo sobre a educação em Portugal

Educação

24
Jul12

Professores exigem mínimo de seis horas letivas para quem ficou com horário-zero

adm

Centenas de professores que se concentraram, esta terça-feira, junto às instalações da Direção Regional de Educação do Norte (DREN), no Porto, exigiram a atribuição de um mínimo de seis horas letivas a docentes a quem foi dado horário-zero.

Num caderno reivindicativo entregue ao diretor regional, os professores exigiram também a redução do número de alunos por turma e, entre outras medidas, a abertura de um processo negocial "que vise identificar e ultrapassar ilegalidades que estão a ser cometidas no âmbito da carreira docente".

Os professores concentrados frente à DREN envergavam maioritariamente roupa branca, querendo com isto simbolizar a sua oposição a políticas que tornem "negro" o futuro da Educação, segundo Manuela Mendonça, do Sindicato dos Professores do Norte e da Federação Nacional de Professores (Fenprof), os promotores do protesto.

Expressões como "deixem-nos ser professores" e "empobrecer a escola é arruinar o país" viam-se em tarjas exibidas pelos docentes ou em "t-shirts" que vestiam.

O tom geral dos discursos produzidos foi o de que as medidas que o ministério de Nuno Crato está a tomar afetam não só o futuro pessoal de docentes contratados e do quadro, mas também a qualidade da Educação.

Em declarações aos jornalistas, o coordenador da Fenprof, Mário Nogueira, disse que, em setembro, "serão milhares" os professores contratados "que vão ser postos fora das escolas" e os do quadro que ficam com horário-zero.

"Mesmo aquelas tarefas que o Ministério da Educação, para tentar disfarçar, veio dizer que seriam atribuídas, não retiram esses professores de uma bolsa de docentes com horário-zero para, à primeira oportunidade, poderem ser postos fora", afirmou, considerando que tudo isto acaba por afetar a qualidade do ensino ministrado.

"Que sentido faz ter 30 alunos por turma numa escola com 40 professores com horário-zero?", questionou-se ainda o dirigente sindical.

Referindo-se ao trabalho do atual titular da pasta da Educação, Mário Nogueira disse que o ministro Nuno Crato "não passa de um 'bluff'", porque alegadamente fez o mesmo, "ou ainda pior", do que os seus antecessores, que "tanto criticava".

A esta manifestação, que decorreu sob o lema "Os professores fazem falta nas escolas e ao país! Contra a extinção deliberada de postos de trabalho!", seguem-se iniciativas similares em Coimbra (quarta-feira), Évora e Faro (quinta-feira) e Lisboa (sexta-feira).

fonte:http://www.jn.pt/P

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D