Pais e escolas indignados com cancelamento de bolsas de mérito

Os pais e o Conselho de Escolas estão indignados com a decisão do Ministério da Educação de cancelar a entrega do prémio de 500 euros aos melhores alunos do ensino secundário.

“Isto é o que chamo defraudar as expectativas de uma pessoa”, afirma o presidente da Confederação das Associações de Pais (Confap), Albino Almeida. “É lamentável que isto tenha sido feito sem ouvir os parceiros. Percebo que tenhamos todos que fazer sacrifícios nesta altura, mas não é por aqui que, seguramente, se devia começar”, critica, na Renascença.

O cancelamento do prémio foi confirmado esta manhã pela Renascença junto do Ministério da Educação e Ciência, que explica que as verbas vão ser desviadas para projectos da escola, de apoio aos mais carenciados.

A decisão chegou, contudo, aos estabelecimentos de ensino dois dias antes da cerimónia de entrega das bolsas, marcada para a sexta-feira (dia 30).

O presidente do Conselho de Escolas apela, por isso, a todos os directores que mantenham o prémio, recorrendo a outras fontes de financiamento.

“Penso que as escolas devem atribuir na mesma os prémios de mérito aos miúdos, não recorrendo às verbas do Ministério da Educação, mas fazendo tudo para, através das juntas de freguesia, associações de pais e outras instituições, juntar os 500 euros. Os directores das escolas não podem de maneira nenhuma consentir que, a dois dias de 30 de Setembro, recebam uma informação destas quando já deram a cara perante os pais e as famílias estão à espera do prémio”, afirma Manuel Esperança.

O prémio de mérito foi criado em 2008 pela ministra Maria de Lurdes Rodrigues com o objectivo de promover a excelência nas escolas. É agora retirado agora pelo Ministério tutelado por Nuno Crato, a poucos dias da sua entrega.

fonte:http://rr.sapo.pt/

publicado por adm às 13:32 | comentar | ver comentários (1) | favorito