Mais de 2000 professores do quadro com horário zero

De um total de 13 mil professores dos quadros que se candidataram ao concurso ficaram por sem turma atribuída cerca de 17%.

Cerca de 2.200 professores dos quadros não foram colocados no concurso de mobilidade interna para o qual concorreram no total cerca de 13 mil docentes. Um número que traduz 17% do total de candidatos ao concurso que permite aos docentes conseguir um horário numa escola ou trocar de escola para se aproximar à zona de residência (mobilidade interna).

Entre os 2.185 professores horários zero (sem turma atribuída), 805 pertencem ao quando de escola e os restantes 1.380 têm um vínculo ao quadro de zona pedagógica (QZP), semelhante a um concelho ou área metropolitana.  São estes os docentes que vão agora ter prioridade nos concursos que vão decorrer durante o primeiro período do ano lectivo, sendo que o primeiro arranca na segunda semana de Setembro.

A maioria dos professores sem turma são o 1º ciclo, do pré-escolar e de Português e são dos quadros de zona do Porto e de Lisboa.

Só depois de atribuir turma a todos os professores dos quadros o Ministério admite recorrer aos contratados. Isto significa que será pouco provável que, pelo menos, durante o mês de Setembro o Ministério da Educação venha a contratar professores.        

Estes são alguns dos resultados das listas de colocação do concurso que acabaram de ser publicadas no 'site' da Direcção Geral da Administração Geral (DGAE).

Segundo o Ministério da Educação as escolas pediram, até 31 de Julho, 17.263 horários ficando por preencher 6.437. Os horários não preenchidos vão agora ser reenviados para as escolas que - durante a próxima semana - vão fazer uma reavaliação da necessidade do horário havendo a possibilidade de o manter, encerrá-lo ou até pedir mais horários, explicou a tutela. Serão estes horários que agora vão ser avaliados que ficarão disponíveis para os concursos posteriores. 

Para validar a colocação os professores têm de aceitar o horário através da internet e têm de se apresentar nas escolas presencialmente dentro de 72 horas. 

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 13:07 | comentar | favorito